moda e autoestima

O poder da moda e autoestima

Muitas vezes, ficamos tão preocupadas com o que é certo ou errado na hora de se vestir que nos esquecemos de algo mais importante: se sentir bem com a gente mesma! Quando o assunto é moda e autoestima, precisamos nos conscientizar de que é a primeira que deve servir à segunda, e não o contrário!

Em outras palavras, os modismos têm que ajudar você a exibir a sua identidade para ficar melhor física e emocionalmente. Ou seja, não se trata de se adaptar às recentes inclinações do mundo fashion.

Isso porque o que conta mesmo é saber usar o que está em alta de um jeito que a agrade lá na essência. Assim, vai ficar mais fácil ficar satisfeita consigo mesma e colocar em prática o tão famoso amor-próprio.

Quer saber como se sentir mais segura, autoconfiante e bonita? Então leia este post, no qual vamos abordar como unir moda e autoestima e ser mais feliz. Acompanhe!

Evidencie as suas qualidades

Embora haja uma enorme influência da indústria nos conceitos de moda, não se pode negar o poder que ela tem em contribuir para melhorar a autoestima.

Por um lado, é preciso admitir que gostar de si mesma não é algo que se compre em uma vitrine. Trata-se de um longo processo, que exige muita luta e reflexão.

No entanto, a moda pode salientar o que você tem de mais bonito. Por esse motivo, quando você ressalta alguma qualidade com uma roupa nova, por exemplo, essa tarefa de gostar de si vai ficando mais simples.  

Se você tem seios fartos, um decote elegante pode mais do que chamar a atenção dos outros. Esse detalhe é capaz de influenciar a sua mente, a maneira como você se enxerga. Do mesmo modo, caso conte com lábios carnudos, jogue-se com tudo nos batons de cores fortes.

Nesse contexto, é fundamental aprender a usar uma espécie de filtro. Assim, você aproveita aquilo que está em evidência de um jeito apropriado ao seu estilo e à sua personalidade.

Por tudo isso, a moda é poderosa no desenvolvimento do amor-próprio. Ninguém está dizendo para você se tornar uma pessoa supérflua. No entanto, a moda pode ajudá-la a atingir a profundidade necessária para estruturar seu psicológico.

Disfarce as coisas que incomodam

No tema gostar de si, muita gente dá o seguinte palpite: é necessário se aceitar!Embora isso seja uma verdade, sabemos que é supercomplicado chegar lá. Afinal, toda mulher tem aquele defeitinho que a incomoda imensamente.

Nesse sentido, a moda e a autoestima podem perfeitamente caminhar juntas. Como? Se você quer esconder umas gordurinhas, use uma bata de cores ou estampas mais fortes, por exemplo.

Assim, você consegue uma blusa mais soltinha, que não vai marcar tanto o corpo, mas que tem um toque a mais.

Mais um exemplo: um bom corretivo é um excelente amigo para tampar as indesejáveis olheiras. Se você se olhar no espelho e conseguir se achar linda logo cedo, vai ser mais simples estimular o afeto por si mesma. Pode acreditar!

Exercite o amor-próprio diariamente

Na prática, as mulheres sabem que devem ter autoestima, principalmente na maturidade. Mas o fato é que, no dia a dia, são muitos problemas e aflições que atrapalham. Afinal, sempre estamos preocupadas com os filhos, com as contas, com a limpeza da casa etc.

Para driblar esse tipo de situação, é muito positivo que você reserve um tempo para cuidar de si com frequência: passe um creme hidratante para tratar bem a pele, corte o cabelo com um design mais adequado ao seu rosto e faça as unhas sempre que der.

Além disso, use bons demaquilantes e produtos anti-idade. Desse jeito, você naturalmente se sentirá mais segura.

Combata a depressão com a moda e autoestima

Não é segredo para ninguém que a depressão vem crescendo, principalmente entre as mulheres. Nos quadros mais leves da doença, a psicoterapia ajuda os pacientes a lidar melhor com seus sentimentos.

Existem, porém, casos mais graves, nos quais é necessária a intervenção de psiquiatras. Nessa circunstância mais aguda, é recomendável associar os dois tipos de tratamento: terapia e medicação.

Para qualquer uma das situações, no entanto, a moda e autoestima podem ser grandes reforços para a recuperação. Evidentemente, isso não significa, de modo algum, trocar psicólogos e remédios por roupas e acessórios. Muito longe disso!

O que estamos dizendo é que os cuidados consigo mesma contribuem para reestabelecer o vínculo com a vida e com a positividade. Nesse sentido, a moda não vem como solução, mas sim como um importante suporte.

Como você já deve ter percebido, moda e autoestima são assuntos intensamente interligados. Por outro lado, é necessário cautela para não se tornar escrava das regras da beleza.

Com consciência e maturidade, você vai saber aproveitar o que há de melhor nas tendências. Isso sem permitir ser manipulada ou enquadrada nos padrões ditados pela indústria e pela mídia.

E aí? Que tal saber mais como usar a estética a favor do bem-estar de forma saudável? Então leia também nosso post 7 dicas para se sentir bem por ser mulher!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.